H

H
Palácio de Queluz - Escadaria Robillion ou dos Leões

6 de fevereiro de 2011

Guerra Civil - Romance (12)

Como até ao momento mais ninguém manifestou dúvidas, vamos aproveitar para acabar com o romance, salvo seja.

No Porto...
«Estava, portanto, consolidado o cerco. Isto é, os de dentro e os de fora olhavam-se e sentiam-se prisioneiros uns dos outros.»

Os liberais conseguiram receber reforços vindos do estrangeiro, exilados portugueses, como o general Saldanha, e militares estrangeiros, como o almirante inglês Charles Napier, que se revelaram fundamentais no desenvolvimento das acções liberais.

Com Saldanha, de Paris, viera Raimundo para se juntar aos liberais. No exército absolutista, para o cerco do Porto, tinha ido João da Silva. Os absolutistas da família Almeida, de Lisboa, também já estavam no cerco. Tal como Segismundo Avilez, o que se enamorara de Margarida.
Há combates que provocam muitas baixas. Nuno de Almeida, o grande amigo de Filipe, durante um desses combates que chega ao corpo a corpo, matou o seu primo António (sem saber, na altura, quem era o seu adversário).
Também ferido, Nuno apaixona-se por Clara, que o trata no hospital.

Do Porto, por mar, sai uma expedição para abrir uma nova frente de guerra no Algarve.
Filipe vai nessa expedição.

Sem comentários:

Enviar um comentário