H

H
A imagem faz parte de um livro publicado no ano de 1647, por J. Blaeu (um importante cartógrafo holandês), em que está desenhado um conjunto de mapas do nordeste brasileiro, então ocupado pelos holandeses, decorados com cenas da vida quotidiana. A cena que apresentamos representa uma fazenda brasileira produtora de açúcar, na zona de Pernambuco.

14 de abril de 2013

As reais personagens da crise de 1383-1385 - D. Fernando I

D. Fernando I nasceu em Lisboa, a 31 de Outubro de 1345, filho de D. Pedro I e de D. Constança. Sucedeu a D. Pedro em 1367.
Durante o seu reinado envolveu-se em várias guerras com Castela, por se ter considerado com direitos ao trono deste reino. Não teve sucesso nessas guerras.
Depois de se ter comprometido a casar com D. Leonor de Castela, acabou por casar com D. Leonor Teles, em 1372, casamento que teve forte contestação popular.
Tomou várias medidas para o desenvolvimento da agricultura e da marinha e o comércio externo. Naquilo que agora mais nos interessa – o seu papel na crise de 1383-1385 – será de referir a construção e reparação de castelos e a construção de novas muralhas à volta de cidades como Porto e Lisboa, durante a década de 1370.
Habitualmente só se fala da sua filha D. Beatriz, mas teve mais dois filhos de D. Leonor Teles. No entanto, ambos não chegaram à idade adulta: D. Pedro morreu aos 5 anos (1375-1380) e D. Afonso morreu 4 dias depois de nascer (1382).
Depois da última guerra com Castela, 1381-82, viria a prometer a sua filha em casamento ao herdeiro do trono de Castela e, depois, ao próprio rei de Castela, D. João I.
D. Fernando I morreu em 22 de Outubro de 1383, ficando D. Leonor Teles como regente em nome de D. Beatriz.
Terminava a dinastia de Borgonha.

Túmulo de D. Fernando I
(Museu Arqueológico do Museu do Carmo - Lisboa)

Sem comentários:

Enviar um comentário