H

H
A imagem faz parte de um livro publicado no ano de 1647, por J. Blaeu (um importante cartógrafo holandês), em que está desenhado um conjunto de mapas do nordeste brasileiro, então ocupado pelos holandeses, decorados com cenas da vida quotidiana. A cena que apresentamos representa uma fazenda brasileira produtora de açúcar, na zona de Pernambuco.

7 de março de 2017

A comemoração dos 60 anos da RTP

(atualizado, a 8/03)



A RTP comemora, neste dia 7 de março de 2017, 60 anos de emissões regulares de televisão em Portugal.
Mas a primeira experiência de uma emissão televisiva no nosso país aconteceu em setembro de 1956.

Em Inglaterra já há muitos anos que se tinha iniciado.
Não podendo Portugal passar à margem dos avanços verificados nos meios de comunicação social, o Ministro da Presidência, em 1953, fez um Despacho ordenando a constituição, na Emissora Nacional, de um grupo de estudo para a instalação da televisão em Portugal.

Mas o regime do Estado Novo tinha receio da abertura ao mundo que a televisão poderia trazer à sociedade portuguesa e manifestava as suas cautelas. Por isso, o Despacho adiantava que “a Emissora Nacional não devia, por enquanto, ir além do estudo do problema, sem ter perspetiva a instalação e a exploração do serviço.”
Esta ideia foi reforçada por um novo Despacho, em 1954, que insistia em que não se devia ultrapassar a fase de estudo.

Em 1955, o Ministro da Presidência passou a ser o Prof. Marcelo Caetano. Fez-se nova legislação, criou-se a empresa e alugaram-se instalações. No dia 15 de dezembro desse ano, foi criada juridicamente a Rádio Televisão Portuguesa.

Vários técnicos foram fazer formação no estrangeiro.
Em setembro de 1956, avançou-se para as primeiras emissões experimentais de televisão. Essas experiências decorreram na Feira Popular, que à época funcionava no Parque de Palhavã, onde hoje se situa a sede da Fundação Calouste Gulbenkian.
Instalaram-se 3 pavilhões pré-fabricados, uma torre e um pequeno emissor de 100 watts, o bastante para emitir para a região de Lisboa.
Foi aí que se fizeram as primeiras emissões, com início no dia 4 de setembro.

Pela cidade de Lisboa tinham sido afixados cartazes a publicitar o acontecimento. Na Feira foram distribuídos folhetos que explicavam o que era a televisão e o mundo que este novo meio de comunicação social podia abrir.




O locutor Raul Feio apresentou a televisão como um mundo maravilhoso a que as pessoas podiam aceder: a gruta de Ali-Babá, onde estavam à disposição todos os tesouros do mundo.
Venderam-se mais de mil televisores e os cafés e as esplanadas encheram-se. As pessoas acumulavam-se nas ruas para verem a novidade.

Mas no final de setembro, a Feira Popular fechava e a televisão teve de fechar também. No entanto, o sucesso das emissões experimentais, que superou as expectativas, apressou o processo.
A RTP instalou-se no Lumiar, em Lisboa, onde ainda possui um estúdio, e a partir de 7 de março de 1957 iniciou as suas emissões regulares, tendo mudado a vida dos portugueses.


Vídeo produzido com o Clube de Jornalismo da Escola Paulo da Gama.



Sem comentários:

Enviar um comentário