H

H
150 anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal (1867-2017)

11 de novembro de 2011

A inquisição no tempo de D. João V

D. João V
A razão por que falamos na Inquisição a propósito do reinado de D. João V, é que, com este rei, a sua atividade foi mais intensa.
Aumentou o número de autos-de-fé, sendo que o próprio D. João V assistia à grande maioria deles, mesmo nos últimos anos do reinado, quando já apresentava problemas de saúde. Era o seu “espetáculo” preferido. O rei pensaria que era a melhor forma de manter os princípios do cristianismo.

Auto-de-fé no Terreiro do Paço (Lisboa)

Durante o seu reinado realizaram-se, em Lisboa, 28 autos-de-fé públicos. E o número de condenados podia atingir as dezenas.
Os autos-de-fé eram apregoados pela cidade cerca de quinze dias antes da sua realização e faziam-se preparativos como se fosse para uma festa.
Montavam-se bancadas de madeira para a assistência nas praças onde tinham lugar - em Lisboa, era no Terreiro do Paço ou no Rossio.
Geralmente, após os autos-de-fé, inquisidores e rei jantavam em banquetes organizados pela Inquisição, onde podiam participar centenas de pessoas das mais importantes do clero e da nobreza.

Sem comentários:

Enviar um comentário