H

H
Planisfério de Cantino (1502) - É o primeiro mapa (que se saiba) que tem representadas as linhas do Equador, dos dois Trópicos e do Círculo Polar Ártico

11 de novembro de 2011

A Inquisição em Portugal - a sua instauração

D. João III
D. João III renovou o pedido de instalação do Tribunal do Santo Ofício em Portugal e, depois de vários anos de negociações, a autorização definitiva foi dada pelo Papa Paulo III, no ano de 1536.

Este tribunal, controlado pelo clero através de ordens religiosas (sobretudo os dominicanos), tornou-se um tribunal ao serviço do poder político, contra quem ameaçasse esse poder.
O inquisidor-geral era nomeado pelo papa sob proposta do rei, pelo que este cargo foi exercido por pessoas da família real, como o Cardeal D. Henrique, que chegou a ser rei.


Bula do papa Paulo III que estabeleceu a Inquisição em Portugal (23 de Maio de 1536)

Interrogatório no Tribunal da Inquisição
As principais vítimas de perseguição foram os judeus, mesmo que já convertidos – os chamados Cristãos-Novos.

A Inquisição tinha tribunais em Évora (onde funcionou a primeira sede), Lisboa e Coimbra.
A atuação do tribunal, para além do que se relacionava com as questões de caráter religioso, estendeu-se à censura de livros, bruxaria, prática de homossexualidade, etc., o que vai ter uma grande influência nos outros setores: político, cultural e social.


Armas da Inquisição, no palácio do Tribunal da Inquisição, em Évora.
Armas significa, neste caso, sinais simbólicos representados num escudo ou brasão.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário