H

H
A imagem faz parte de um livro publicado no ano de 1647, por J. Blaeu (um importante cartógrafo holandês), em que está desenhado um conjunto de mapas do nordeste brasileiro, então ocupado pelos holandeses, decorados com cenas da vida quotidiana. A cena que apresentamos representa uma fazenda brasileira produtora de açúcar, na zona de Pernambuco.

11 de novembro de 2011

A Inquisição em Portugal - a sua instauração

D. João III
D. João III renovou o pedido de instalação do Tribunal do Santo Ofício em Portugal e, depois de vários anos de negociações, a autorização definitiva foi dada pelo Papa Paulo III, no ano de 1536.

Este tribunal, controlado pelo clero através de ordens religiosas (sobretudo os dominicanos), tornou-se um tribunal ao serviço do poder político, contra quem ameaçasse esse poder.
O inquisidor-geral era nomeado pelo papa sob proposta do rei, pelo que este cargo foi exercido por pessoas da família real, como o Cardeal D. Henrique, que chegou a ser rei.


Bula do papa Paulo III que estabeleceu a Inquisição em Portugal (23 de Maio de 1536)

Interrogatório no Tribunal da Inquisição
As principais vítimas de perseguição foram os judeus, mesmo que já convertidos – os chamados Cristãos-Novos.

A Inquisição tinha tribunais em Évora (onde funcionou a primeira sede), Lisboa e Coimbra.
A atuação do tribunal, para além do que se relacionava com as questões de caráter religioso, estendeu-se à censura de livros, bruxaria, prática de homossexualidade, etc., o que vai ter uma grande influência nos outros setores: político, cultural e social.


Armas da Inquisição, no palácio do Tribunal da Inquisição, em Évora.
Armas significa, neste caso, sinais simbólicos representados num escudo ou brasão.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário