H

H
Palácio de Queluz - Escadaria Robillion ou dos Leões

16 de junho de 2011

As eleições para o Parlamento durante o Estado Novo

1938 (30 de Outubro) - Só concorreu a União Nacional (o partido que apoiava o regime), pelo que todos os deputados eram deste partido.

1942 (1 de Novembro) - Só concorreu a União Nacional, pelo que todos os deputados eram deste partido.

1945 (18 de Novembro) - Só concorreu a União Nacional, pelo que todos os deputados eram deste partido.
Cartaz do MUD apelando à abstenção
Em Outubro tinha-se constituído o Movimento de Unidade Democrática (MUD), para participar nas eleições que, segundo Salazar, seriam tão livres como na livre Inglaterra. O MUD, não podendo concorrer em situação de igualdade com a União Nacional e sofrendo os seus candidatos ameaças, desistiu das eleições, apelando à abstenção.

1949 (13 de Dezembro) - Só concorreu a União Nacional, pelo que todos os deputados eram deste partido.

1953 (8 de Novembro) - Só concorreu a União Nacional, pelo que todos os deputados eram deste partido.

1957 (3 de Novembro) - Só concorreu a União Nacional, pelo que todos os deputados eram deste partido.

1961 (12 de Novembro) - Só concorreu a União Nacional, pelo que todos os deputados eram deste partido.

1965 (7 de Novembro) - Só concorreu a União Nacional, pelo que todos os deputados eram deste partido.

1969 (26 de Outubro) - Pela primeira vez na ditadura, a oposição concorreu às eleições através de duas organizações: a CDE (Comissão Democrática Eleitoral) e a CEUD (Comissão Eleitoral de Unidade Democrática). Segundo os resultados oficiais, os votos destas duas organizações foram insuficientes para elegerem qualquer deputado. A União Nacional elegeu todos os deputados.


1973 (28 de Outubro) - Só concorreu o partido do regime, agora chamado Acção Nacional Popular, pelo que todos os deputados eram deste partido.


Sem comentários:

Enviar um comentário