H

H
A imagem faz parte de um livro publicado no ano de 1647, por J. Blaeu (um importante cartógrafo holandês), em que está desenhado um conjunto de mapas do nordeste brasileiro, então ocupado pelos holandeses, decorados com cenas da vida quotidiana. A cena que apresentamos representa uma fazenda brasileira produtora de açúcar, na zona de Pernambuco.

20 de janeiro de 2013

As (muitas) invasões e conquistas


Quando nas aulas falamos de conquistas...
     ... e os Romanos conquistaram/dominaram a Península Ibérica
     ... e os Visigodos conquistaram/dominaram a Península Ibérica
     ... e os Muçulmanos conquistaram/dominaram (quase toda) a Península Ibérica

... não significa que os exércitos invasores/conquistadores tenham matado toda a população que aqui vivia. Isso seria a desgraça absoluta... para todos!!!


Quem conquista e passa a dominar um território precisa de quem trabalha, de quem cultive a terra e produza os alimentos.


Nas guerras, há os que morrem, os que ficam feridos e, em épocas antigas, havia os que eram transformados em escravos.
Mas, qualquer que fosse o povo que ficasse a dominar, a maioria da população continuava a fazer a sua vida: cultivar os campos, criar o gado, pescar, fazer o pão, fazer os tecidos, fazer os objetos de barro ou de ferro, comerciar os mais variados produtos, pagar impostos, obedecer a quem manda...

Qual a diferença, então? A diferença é o senhor que governa e a quem se tem de obedecer e pagar os impostos.

Pintura de Brueghel, em 1616 - O cobrador de impostos
Sim, a história dos impostos é uma longa história, quase tão antiga como o Homem.
Isso vocês aprenderão.

Sem comentários:

Enviar um comentário