H

H
Acendedor de candeeiros a gás, na Praça do Comércio. Lisboa passou a ter iluminação pública a gás no dia 30 de julho de 1848. Eram 26 candeeiros na zona da Baixa/Chiado. A iluminação elétrica na cidade só foi inaugurada em Outubro de 1878, quando o rei D. Luís ofereceu 6 candeeiros à Câmara Municipal.

24 de dezembro de 2017

Feliz Natal

Pormenor do chamado Presépio das Necessidades
(presépio do Convento das Necessidades,
atualmente no Museu Nacional de Arte Antiga)

«As formas como vivemos o Natal não são indiferentes à História, até porque o cristianismo é uma religião vertiginosamente histórica. Há outras tradições religiosas para quem a História é mais ou menos indiferente, (...) O cristianismo pega na História de frente. E, por isso, tudo o que é o fluxo histórico tem uma tradução na vivência do cristianismo. O próprio Natal, em si mesmo, é este cruzamento do eterno com a História e é sempre através daquilo que a História pode ser em cada momento que nós conseguimos olhar para o mistério da fé.»
José Tolentino Mendonça

Pensamento complexo...

Um desejo mais simples:

FELINATAL



Sem comentários:

Enviar um comentário