H

H

30 de julho de 2016

Iluminação pública - a iluminação a gás em Lisboa

No dia 30 de julho de 1848, foi inaugurado em Lisboa o sistema de iluminação pública a gás.
Foram acesos, no Chiado, 26 candeeiros pertencentes à Companhia Lisbonense d’Iluminação a Gaz.

Até 1780, à noite, por falta de iluminação pública, “a cidade dormia nas trevas e os habitantes apenas saíam em grupos, armados e com archotes acesos".
A partir desta data houve esforços para a existência de um sistema de iluminação pública, começando a funcionar um conjunto de 770 lampiões a azeite.
As negociações para a utilização do gás na iluminação pública começaram em 1835.


O "homem do gás", que acendia os candeeiros

A primeira experiência de iluminação elétrica ocorreria em 1878.
Só estamos a falar de Lisboa. O resto do país continuava... às escuras.


3 comentários:


  1. também existe esta informação:
    "Na capital lusa, existiam duas centrais que forneciam electricidade à cidade: a Central da Avenida (1889) e a Central da Boavista (1903)
    bom domingo!

    ResponderEliminar
  2. A iluminação a gás foi substituindo a iluminação a azeite, como depois a iluminação elétrica foi substituindo a de gás.
    Há histórias interessantes à volta dessa lenta (mas cada vez mais rápida) evolução. Depois temos comentários que nos fazem descobrir mais...
    A "Central da Avenida" pertencia à Companhia Gás de Lisboa (empresa de capitais belgas, formada em 1887); a sua localização remete para a Av. da Liberdade, mas não faço ideia em que ponto. Da Central da Boavista, na atual Av. 24 de Julho, encontram-se algumas imagens com facilidade.
    Obrigado. Uma boa semana

    ResponderEliminar
  3. P.S. - A Estação Elétrica da Avenida situava-se "nuns terrenos ao cimo da Avenida da Liberdade, numa situação paralela à Rua de Santa Marta" (Alfredo Mesquita, "Lisboa"). Terá sido desativada quando da construção da Central da Boavista.

    ResponderEliminar